quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Nelson Mandela a caminho da eternidade



Hoje a humanidade perde a sua referência por excelência. Como diz a história, a humanidade surge do continente Africano. Este é, portanto, o continente mãe. Mandela foi a síntese da civilização humana, vendo que a vida é a maior conquista de todas as conquistas do homem e da mulher no planeta. Supera as religiões, os regimes políticos existentes no passado e no presente. A vida é um atributo da convivência do homem e da mulher, como disse o poeta, eu sou você e você sou eu, a soma de eu e você somos nós, a humanidade. Mandela fez no processo político valer todo o aprendizado de criar uma motivação, alterando os códigos constitucionais para um governo de gestão priorizando uma política socioeconômica e política de igualdade. Todos os homens nascem livres, permanecem livres e caminham para a eternidade livres. Como manifestação à prisão de Mandela, na década de 1980, o blog onegronobrasil1980.blogspot.com fez a sua iniciativa em frente a embaixada da África do Sul em Brasília, com a participação de 10 mil pessoas e mais os jornalistas representando as agência de correspondências internacionais que passou a ser notícia em todos os cinco continentes.
A liberdade de Mandela foi um compromisso da civilização humana. A sua grandeza política como uma estrela de primeira grandeza para a estrutura de poder mundial fica para nós, a civilização humana, este presente da dedicação para as estruturas, para  mudar o processo de estrutura do poder político mundial e institucional. Esse é o legado deixado por Nelson Mandela.

14 comentários:

  1. Aline - estudante de comunicação social5 de dezembro de 2013 22:01

    Como estudante de comunicação, espero que o exemplo de Nelson Mandela sirva como parâmetro para mudanças no Brasil e no mundo.

    ResponderExcluir
  2. Nelson Mandela motivou todos os governos da terra a humanizar a convivência com seu povo.

    ResponderExcluir
  3. A humanidade teve um exemplo de Jesus Cristo de dar-lhe em holocausto como exemplo de amor, solidariedade em favor da humanidade. Mandela esteve preso em solitária, aprendeu e compreendeu que somente a paz e harmonia envolve a busca da sabedoria e o aprimoramento da inteligência no navegar do potencial interior de cada um. Vivenciou que nenhum homem isoladamente tem poder algum. Milton Santos na sua vasta obra elucida que o povo é o único aliado da possibilidade de mudança de uma estrutura de poder. Hoje os paraísos fiscais criam uma estrutura de corrupção que descaracteriza o homem por ter um pouco mais de dinheiro e se revestem de um novo Deus, isso acontece na América Latina. A devastação e o empobrecimento da população humilde mostra que de fato não há uma conquista dos direitos civis, e há uma manobra calculada pra se achar e fazer o poder como uma coisa pessoal da sua vaidade. Mandela traz outra visão do poder político, jurídico, econômico, financeiro, até mesmo do conceito e valor religioso e como ter também a concepção exata do que é direito civis e humanos.

    ResponderExcluir
  4. Venho expressar minha felicidade ao ver este blog prestando homenagem àquele que foi um dos grandes homens do século XX e XXI, um verdadeiro herói que passou 27 anos na prisão e lutou contra um dos piores regimes de segregação racial do mundo. Nelson Mandela, com sabedoria, abriu um caminho rumo à igualdade, que embora tenha muito a ser percorrido, representou e sempre representará um marco histórico na história da humanidade. Temos muito a aprender com seus exemplos!

    ResponderExcluir
  5. Discordo que esteja a caminho... ja chegou faz tempo.
    Parabens pela homenagem. Dos que ja ouvi falar, de muito longe ele 'e dos melhores. Trabalhou por uma nacao, quando muitos acreditavam, e pressionavam para que ele trabalhasse por apenas parte dela. Com visao pratica, trouxe estabilidade onde a expectativa era muito maior pelo contrario. Foi brilhante, nem tanto pela capacidade de perdoar, mas de ver alem do proprio interesse. Ou melhor, de se interessar pelos outros. Tudo isso em uma circuntancia que a maior parte dos homens agiria muito mal, seja por ignorancia ou ressentimento.
    Em resumo, foi um Estadista. Quem sabe daqui nao queiram seguir o exemplo. Seria bom... pra variar.
    Mateus Renno Santos

    ResponderExcluir
  6. Nós os humanos precisamos de motivação a juventude é talentosa cheia de energia precisa de boas escolas de inovação, tecnologia para ter um caminhar de possibilidade como fez Mandela, que todos usando seu potencial interior faz volver para o exterior uma visão de solidariedade de companheirismo de irmãos, eu estudante de Direito da Faculdade Unyhana convoco os meus companheiros estudantes do Brasil superar as nossas dificuldades para um projeto politico onde todas as mulheres e homens juntos construímos o futuro do Brasil, esse foi o exemplo que Mandela deixou. Suzana

    ResponderExcluir
  7. O registro da história não é presente, passado ou futuro, é história.
    É a contribuição das pessoas que faz a grandeza das civilizações. Hoje o encontro da obra de Platão , “A República”, e a contribuição política de Nelson Mandela são um encontro de civilizações.
    O Negro no Brasil 1980 deixa essa ligação histórica principalmente para a juventude mundial.

    "SÓCRATES_ Enfim, meu caro Glauco, após longos trabalhos e dilatados discursos, conseguimos firmar a diferença entre os filósofos e os que não o são.

    GLAUCO_ Não teria sido fácil fazê-lo com número menor de palavras.

    SÓCRATES_ Também penso assim. Creio, porém, que o teríamos tornado mais claro se fora este o único a conjeturar e não nos houvéramos perdido com várias outras questões, a fim de ver em que se diferencia a condição do justo da do injusto.(g.n.)

    GLAUCO_ Que nos resta agora estudar?

    SÓCRATES_ O que se lhe segue após. Estabelecido que nos reais filósofos são aqueles cuja mente pode chegar ao cerne do que existe sempre e de modo imutável, e que os outros, vagando sem princípios atrás de mil objetos que mudam continuamente de aspecto, serão tudo menos filósofos, cumpre-nos ver a quem escolheríamos para dirigir o Estado."


    A mensagem de Paulo sobre a obra de Cristo continua viva, trazendo esperança à humanidade. Então, o Negro no Brasil deixa a mensagem de Paulo de que a vida é permanente.

    1 Coríntios 13:1-13
    Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
    E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
    E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
    O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
    Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
    Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
    Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
    O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
    Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
    Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
    Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
    Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
    Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor.

    ResponderExcluir
  8. A força do trabalho, da inteligencia, da prosperidade e da capacidade está dentro de cada ser humano. O ser humano é capaz! Onegronobrasil1980 homenageou a grande referencia de superação de Nelson Mandela. Destacou a essência da vida humana, da comunicação, "eu sou você, você sou eu". Não é a figura de Mandela que se foi, mas o ser humano comum, igual a cada um de nós que conversa, aprende, cresce, frusta e readapta. Unicamente acreditando no ser humano e na justiça, como retrata Platão na A Republica, no qual Sócrates pergunta "é justo ser justo com o justo e penalizar os injustos? qual é a verdadeira justiça?"

    ResponderExcluir
  9. O ser humano deve ser tratado com igualdade. No Brasil a igualdade é norma constitucional, entretanto na prática o Brasil sofre de uma política de corrupção, na qual o dinheiro do contribuinte que deveria ser investido no desenvolvimento, infraestrutura e diminuir as desigualdades acabam se tornando dinheiro de poucos na prática da corrupção, indo o nosso dinheiro para paraísos fiscais.

    A discriminação por qualquer que seja o motivo é fruto do egoísmo.

    A humanidade caminha e os oprimidos lutam por seus direitos, seja o negro, a mulher, o pobre.

    Precisamos lutar pela honestidade.

    Mandela é um exemplo de luta e persistência. Na busca de nossos ideais devemos amar o próximo como a si mesmo, nosso maior ensinamento. Os ganhos para toda humanidade ocorrem quando o ser humano visa a somar e a multiplicar para todos e não agindo só em favor de si mesmo.

    ResponderExcluir
  10. Nós não perdemos Mandela ele apenas foi para o reino dos semideuses. Ele fez tudo e mais um pouco em vida carnal. Viveu quase um século para servir os propósitos de um povo. Nossa majestade...

    ResponderExcluir
  11. Meu blog: www.identidadeblack.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. O ex porta voz de imprensa do presidente Color, Cláudio Humberto, escreveu na coluna Política do Jornal METRO no dia 09/01/2014 as declarações do Ex líder dos sem terra José Rainha Junior. "O dia que o negro entrou na casa grande e se encantou com os anéis, ele é tão reacionário quanto o dono do engenho." Os estados do Sul ainda não se integraram no país como um todo, haja vista, a atitude política do senhor Rainha é uma espécie de Ku klux klan, como a empresa Granflor que faz uma política contra negros, pobres e ribeirinhos do velho Chico do oeste da Bahia ao sul do Piauí. Para tanto seu Rainha deseja enfraquecer, criar desmerecimento da autuação e função do presidente do Supremo Tribunal Federal Ministro Joaquim Barbosa, que embora o tribunal é constituído de onze ministros, dos mesmos só um é negro. Segundo estima os cientistas sociais 70% da população brasileira são negros e na pesquisa do IBGE cai para 51%. Pergunto aos brasileiros, o Brasil é um estado racista?

    ResponderExcluir
  13. Terezinha Figueiredo de Souza26 de janeiro de 2014 11:45

    O Brasil, após 513 anos da sua descoberta, elegeu o primeiro presidente do Supremo Tribunal Federal, um negro, que criou empatia das suas decisões provocando a ira dos racistas no Brasil. Até pessoas que tem mandato, eleitos pelos votos também da população negra, para a maioria dos eleitos, pelo voto do povo negro, eles não tem compromisso com essa população. A maioria nem são recebidos em seus cabinetes, na esfera estadual, municipal e federal. A eleição está aí, em outubro de 2014. Fica em alerta a população negra, para não votar nos racistas de plantão. Essa população que construiu o Brasil, transformando a violência das outras etnias em paz, em amor, em sabedoria, acreditando ser só o amor à vida e vivificá-la, todos nós juntos de mãos dadas somos vencedores. (Terezinha Figueiredo de Souza, nascida na fazenda estreito - Mansidão-BA)

    ResponderExcluir
  14. Nota informativa da CPLP

    A 92ª Reunião Extraordinária do Comité de Concertação Permanente da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) decorreu no dia 8 de Janeiro, na Sede da CPLP, para a Apresentação do Representante Especial da CPLP a ser enviado à Guiné-Bissau, Carlos Moura.

    O XVIII Conselho de Ministros, realizado em Julho de 2013, em Maputo, decidiu designar um Representante Especial da CPLP à Guiné-Bissau para acompanhar, no terreno, a evolução da situação até à conclusão do processo eleitoral. Carlos Moura chefiou a Representação Temporária da CPLP em Bissau, entre 2004 e 2006, tendo sido o seu trabalho reconhecido pela Declaração de Apreço adoptada pelo XI Conselho de Ministros da CPLP, realizado em 2006, em Bissau.

    Em Julho de 2012, Carlos Moura chefiou a Missão de Observação Eleitoral da CPLP às eleições legislativas de Timor-Leste.

    Formado em Direito, Carlos Moura iniciou o seu percurso profissional como advogado de Sindicatos e da Federação do Estado brasileiro do Rio de Janeiro. Na década de 1960, assessorou a Confederação brasileira dos Trabalhadores da Agricultura. Na década de 1970, foi nomeado assessor para assuntos de cultura afro-brasileira do Ministério da Cultura do Brasil e fundou o Centro de Estudos Afro-Brasileiros.

    Tendo desempenhado um papel fundamental na criação da Fundação Palmares no Brasil, da qual foi o primeiro presidente, em 1988, Carlos Moura desenvolveu ainda um vasto percurso profissional na Secretaria Especial de Políticas de Promoção Racial da Presidência da República do Brasil.

    Em 2011, foi nomeado coordenador geral do centro Nacional de Informação e referência da Cultura Negra da Fundação Palmares, cargo que ocupou até ao ano passado.

    ResponderExcluir