sábado, 28 de abril de 2012

VITÓRIA!

Este blog está presente nesse momento da historia brasileira e humana, dando sua contribuição para ECO RIO+20, nesse comentário abaixo.

   Milton Santos, na multiplicidade de suas pesquisas, reflete e amplia os valores individuais e coletivos da consciência geopolítica da inteligência do homem e da mulher. Como também advogado, pautou um novo conceito de juridicidade para aqueles que ocupam cargo na magistratrura. A doutrina do direito do Estado brasileiro atuou em favor da lógica escravista, colonial e pós-colonial, contras os negros, índios e seus descendentes. É importante frisar, contudo, que um novo marco na conquista de direitos surge em 26 de abril 2012.


    É importante haver equidade nas ações de Estado. Todas as grandes fortunas desse país são frutos do trabalho dos que pagam impostos. As elites brasileiras, minoritárias, resguardadas as exceções, se beneficiaram dessa política de corrupção, de decisões perversas do judiciário que validavam e validam essa pratica de corrupção, de escravismo e de comportamento fascistóide, por séculos.

    Os depósitos nos bancos em contas secretos não identificadas tem o apoio do G7 mais Suíça somam uma cifra astronômica que chega a trilhões de dólares. Haja vista que a Grécia é um país falido, mas que é um símbolo da cultura ocidental pela sua linguagem sofista. Também por isso, obteve o valor de trezentos bilhões de Euros para resolver seu problema fiscal. Enquanto o Brasil, os países em desenvolvimentos e os países pobres não obtiveram ao longo de sua história credito diante do FMI, Banco Mundial e o Banco Interamericano para suas crises. Fato a ser comemorado é o Brasil não ser mais devedor do FMI, e sim credor. Dessa forma há uma inversão na lógica. Aos governos e suas populações são impostos o controle e o favorecimento da perversidade de cultura da corrupção mundial. Que é, por sua vez, comandada pelos gestores políticos dos trinta maiores bancos mundiais, que tem o aval da Suíça e do G7.

    Como diz a presidenta Dilma, no exercício da inteligência da vida humana não é mais permitido o “aditamento da regra do mal feito”. A política da juridicidade, do sistema geopolítico, da pratica fundamentalista, da soberba que destrói a família, cria conceito para destruir o livre arbítrio do homem e da mulher, esquecendo que essa é um fruto da conquista com Deus. Todo o poder só existe se for da vontade de Deus na terra e no universo, como disse Jesus à Pilatos.

18 comentários:

  1. "Vimos que no século XVII, a partir dos problemas gnosiológicos (relativos ao conhecimento), surgem duas correntes opostas: o racionalismo e o empirismo. Exagerando, podíamos dizer que o racionalismo é o sistema que consiste em limitar o homem ao âmbito da experiência sensível. Isso não quer dizer que o racionalismo exclua a experiência sensível, mas esta é apenas a ocasião do conhecimento e está sujeita a enganos. A verdadeira ciência se perfaz no espírito. Para o empirismo, ao contrário, a experiência é fundamental, e o trabalho posterior da razão está a ela subordinado. Como consequência, os racionalistas confiam na capacidade do homem de atingir verdades universais, eternas, enquanto os empiristas terminam por questionar o caráter absoluto da verdade, já que o conhecimento parte de uma realidade in fieri (isto é, em transformação constante), sendo tudo relativo ao espaço, ao tempo, ao humano." (p. 171, Aranha, 1986)

    ResponderExcluir
  2. Lucia - Médica Veterinária1 de maio de 2012 17:23

    Um trecho do livro: "O caminho para a felicidade"
    12-3.Ajude a cuidar do planeta.
    "A ideia de que cada um de nós tem uma parte no planeta, e de que pode e deve ajudar a cuidar dele, poderá parecer muito grande e para alguns poderá parecer estar muito longe da realidade. Porém, hoje em dia, o que acontece no outro lado do mundo, mesmo a uma distância muito grande, pode afetar o que acontece no seu próprio lar.
    Descobertas recentes, efetuadas por sondas espaciais enviadas a Vénus, mostraram que o nosso próprio mundo poderia deteriorar-se até um ponto em que já não poderia manter vida. E que isso poderia acontecer ainda durante a nossa vida.
    Deitem abaixo demasiadas florestas, poluam demasiados rio e oceanos, estraguem a atmosfera e é o fim. A temperatura da superfície terrestre pode ficar escaldante, a chuva pode transformar-se em ácido sulfúrico. Todas as coisas vivas podem morrer.
    Podemos perguntar:"Mesmo que isso seja verdade, que posso eu fazer acerca disso?"Ora bem, mesmo se apenas franzíssemos o sobrolho a cada vez que alguém fizesse coisas para estragar o planeta, já seria fazer alguma coisa sobre o assunto. Mesmo que você se limite a ser da opinião que destruir o planeta não é uma coisa boa e mencionasse essa opinião, já estaria a fazer alguma coisa.
    A atividade de cuidar do planeta começa no seu próprio quintal. Entende-se pela área por onde você passa para ir para a escola ou para o trabalho. Inclui lugares como o sítio onde faz um piquenique ou para onde vai de ferias. O lixo que suja o terreno e as fontes de água, as matas secas que facilitam os incêndios, estas são coisas para as quais não facilitam os incêndios, estas são coisas para as quais não deve contribuir e sobre as quais pode fazer alguma coisa em momentos de ócio. Plantar uma árvore poderá parecer pouco, mas já é alguma coisa."
    Lucia - Médica Veterinária

    ResponderExcluir
  3. a UNB com outras universidades do Brasil antecipou o legislador brasileiro, provocou também no dia 26 de abril de 2012 a decisão do STF sobre as cotas para negros, pela primeira vez, a grande impressa radio e televisão, noticiou como editorial e manchete de primeira página. após a abolição h;a 24 anos, houve reparação constitucinal. Parabéns à UNB pela presença do Reitor José Geraldo pela presença durante a votaçao.


    Juciara Roccha

    ResponderExcluir
  4. Valneide Nascimento dos Santos9 de maio de 2012 13:41

    Valneide Nascimento dos Santos, Secretária Geral da Negritude Socialista Brasileira do PSB, Baicharel em Direito e Administradora de Empresa no Estado do Espirito Santo. A votaçao de 10 a zero nas cotas para negros foi um especial acontecimento na históra brasileira, iniciativa da UNB e outrs universidades. Calor os racistoide da história, o racista de plantão, nos da juventude brasileira pedimos nossos irmãos que sejam aliados neste propositos de compreender e entender como diz Milton Santos, pensar é uma conquista para se tornar uma nação fraterna como nos negros já fizemos historiacamnete.

    ResponderExcluir
  5. Cynthia - Economista/Professora/DF

    Gostei muito dessas últimas notícias. sem sombra de dúvidas, parafrasendo Neil Armstrong, esse 10x0 do STF, referentes às cotas raciais, foi um grande passo para a nação brasileira. Pela primeira vez, os ministros do STF assumiram a sua identidade brasileira, mas vamos ver até onde isso vai chegar, não podemos esmorecer! Minha indagação é a de que por quê os cidadãos brasileiros somente respeitam uns aos outros por uma lei, será que somos tão "TUPIS NIQUINS" que não sabemos respeitar e compartilhar uns com os outros o que temos?
    Outro questionamento é quanto ao extermínio dos jovens negros, onde estão os pais, a escola, a comunidade e a Governo que não mudam esse quadro?
    Não adianta leis se a base - a educação - não é fortificada. Para que tanto "riqueza" e arrecadação tributária se não se é aplicado adequadamente? Algo que aprendi na eduação é que precisamos APRENDER A APRENDER e APRENDER A FAZER, para isso os gestores precisam voltar a estudar, pesquisar, discutir, questionar e fazer, mas de modo, limplo e transparente. Vamos, Brasil! Acorda!

    ResponderExcluir
  6. Eduardo Antônio da Silva Paranhos Néris11 de maio de 2012 17:58

    Espoucando à evolução, ao nascer do terceiro milênio, brada o mais alto escalão da Justiça Brasileira que "INJUSTIÇA NUNCA MAIS"!
    Depois de cinco séculos, acumulando perdas físicas, sociais, intelectuais e porque não também, espirituais; ruge tronitroante mais esse alçar do que há de melhor no espírito humano. Um Sistema que equipara os filhos da terra num plano superior, dando-lhes a todos por direito o nivel superior nas Universidades do Brasil.
    Ponteando nesse Evento ECO RIO+20 essa norma jurídica realça a natural condição de que todos somos iguais, e que a Natureza nos dotou a todos de riquezas mil para cada um de per si, e todos numa coletividade abundante, a lastrear a vida no planeta Terra como uma experiência sem limites, onde todos podem sorver com fartura sem provocar o eclodir de crises que denotam a pequenez dos menores sentimentos.
    É possível, e absolutamente necessári,o que todos de mãos juntos saibamos administrar o que magnanimamente nos dá a natureza, com sabedoria de todas as culturas para prover mais e melhor para todos sem considerar origem ou posição financeira. VIVA A ECO RIO+20!!!
    Eduardo Antônio da Silva Paranhos Néris.

    ResponderExcluir
  7. Ivair Augusto Alves dos Santos lançou o livro "Direitos Humanos as Práticas do Racismo"

    na página 38

    "A condução do processo penal pelo juiz é imperiosa no destino do réu. Ao Juiz cabe a atribuição de rejeitar, solicitar ou dispensar a busca de provas; solicitar investigações; interrogar testemunhas; aceitar ou não novas petições. Enfim, o juiz tem uma margem de discricionariedade, o que leva a verificar que a justiça não se atém somente aos fatos e às provas contidas nos autos, mas a visão de mundo do magistrado tem influência no desfecho do processo."

    O blog dá os parabéns pela fundação Palmares pelo livro do companheiro, militante, Ivair, com mais de 300 presentes

    Waldimiro de Souza

    ResponderExcluir
  8. Luiza T. M. R. Brasil23 de maio de 2012 22:11

    Caros senhores,
    tenho uma mensagem em nome dos jovens que acreditam que no mundo ainda há sustentabilidade e conseguiremos vencer essa batalha contra o consumo. Desde 1972, pessoas estavam percebendo que os seres humanos estavam alucinando na forma do captalismo compulsivo, e até agora nao evoluimos! Por isso que a Rio +20 veio para abrir a mente consumista e transformá-la em um cérebro consciente de que nossa populacao pode entrar em escassez e nós seremos os culpados pela destruição desse mundo maravilhoso e cheio de água que poderemos perder se nao tivermos consciência agora! O mundo evoluiu no mundo material, mas continuamos os primatas da mente!

    Entao espero que, em nome desses jovens, voces adultos e com capacidade e consciência de resolver isso, ajudem as pessoas a partirem da mente primata, para a evolução da sustentabilidade.

    Abracos ternos,

    Luiza Tavares Maciel Rodrigues Brasil (estudante do colégio Marista de Brasília- 11 anos)

    ResponderExcluir
  9. Texto retirado do livro Direitos Humanos e as Práticas de Racismo escrito por Ivair Augusto Alves dos Santos que foi amigo de Milton Santos.

    3.5 - O artigo 20 da Lei no 7.716 de 1989: práticas de racismo
    O artigo 20 da Lei no 7.716 de 1989 foi uma das conquistas importantes do movimento negro para a ampliação do entendimento do que vem a ser um ato de discriminação racial, ante a dificuldade de enquadramento das condutas expressas na Lei no 7.716:
    Art 20 – Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.
    Pena – reclusão de um a três anos e multa
    O verbo praticar é amplo, reflete qualquer conduta discriminatória e significa também qualquer conduta capaz de exteriorizar o preconceito ou revelar a discriminação, englobando gestos, sinais, expressões faladas ou escritas ou atos físicos. Induzir é fazer penetrar na mente de alguém ideia ainda não refletida, é incutir, mover, levar. Incitar é o ato de estimular (Santos, 1999).
    Com o artigo 20, o importante é que a discriminação racial indireta também pode ser enquadrada. O delito não exige a produção de um resultado para se consumar. 266
    Ao debruçar-se sobre a Tabela 7 (Quadro Estatístico do TJ-RJ), os casos que foram enquadrados no artigo 20 da Lei no 7.716 apresentaram os seguintes números totais/anos: 140 (2005), 145 (2006) e 74 (2007, até junho). Ao comparar-se ao total de ações penais têm-se os seguintes percentuais: 7,5% (2005), 5% (2006) e 4,7% (2007, até junho).
    Os gráficos demonstram que há uma curva que indica uma permanência dos casos ao longo dos anos, não apresentando o mesmo crescimento quando se analisa o total de casos que chegam ao Tribunal. Era de se esperar pelo menos uma curva que acompanhasse a linha de crescimento dos casos, mas não é o que ocorre, confirmando uma das hipóteses acerca do sistema jurídico: não reconhece a existência da prática de racismo e a desqualifica para injúria.

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pela iniciativa de criação deste blog para discussão dessas temáticas importantes e pungentes na sociedade contemporânea. Reitor, obrigada pela presença no Supremo no dia 26, com sua assessoria jurídica, para votação das cotas.

    Tatiana B.
    Estudante de Artes Cênicas - UnB

    ResponderExcluir
  11. Izabel Oliveira Souza21 de junho de 2012 20:55

    Quero dar os parábens para a Presidenta Dilma Roussef, por ter aceito a sugestão da participação do poder civil atráves da cúpula dos povos. Se não foi ouvido pelo chefe de estado, não importa, a presença das pessoas indica que os sete bilhões de seres humanos são parte integrante dos habitantes desse planeta e cada um de per si! Tem as suas responsabilidades de compreender e entender como também fazer a sua parte de cuidar, de zelar pelo modo mais inteligente do uso das riquezas naturais, sitaria tres delas: as nascentes, o mar, a fotossíntese e etc. Independente das leis deve ser um ato de todos osbervar, agir, fazer, trabalhar em conjunto com a maravilhosa natureza que nos proporciona tudo o que precisamos para nos manter vivos, a natureza nos doa como presente de Deus.

    ResponderExcluir
  12. Lilia Morliz Schwarcz22 de junho de 2012 22:35

    Um trecho do Livro(contracapa): Festas dos Quilombos Ed. UnB autora: Glória Moura.
    Não há como pensar em uma África e em uma só cultura. Além do mais, a história vestida de tradição acaba por transformar em essências o que na verdade são antes processos de constituição e de comunicação. Só quem viu, vivenciou e participou pode entender como a dinâmica cultural é sempre mais forte do que a mera cópia ou reprodução. Glória percorreu comunidades de remanescentes de quilombos pelo Brasil afora, assistiu a festas de todo tipo e percebeu como, a partir delas, era possível recuperar modo de vida e de estar nesse mundo. Mais ainda, o material mostra como as festas criam realidade; trapaceiam com ela, supondo religiões africanas com o catolicismo aqui devidamente reinventado. Por meio da "festa", Glória percebeu tensões e acomodamentos. Tensões, pois o ritual explicita o conflito, recupera a difícil questão da terra e da autoafirmação dessa população. Acomodamentos, uma vez que a festa regulamenta, estrutura, cria tradições.

    ResponderExcluir
  13. Membros do EDUCAFRO fazem manifestção dentro e na frente do Palácio do Planalto acorrentando-se para exigir da Pres. Dilma uma solução para a questão das cotas para o concurso público, municipal, estadual e federal e também nas empresas privadas. A seguir um link da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, onde no Seminário sobre o Negro no Mercado de Trabalho, Frei David fez a comunicação da manifestação bem como severas críticas como o Governo Federal vem tratando as questões ligadas ao tema racial. http://www2.camara.gov.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cdhm/videoArquivo?codSessao=00021436&codReuniao=29606#videoTitulo
    Ògan Luiz Alves (repórter-fotográfico)

    ResponderExcluir
  14. "Jesus disse: O reino é como um pastor que tinha cem ovelhas. Uma delas extraviou-se a que era a maior de todas. Ele deixou para trás as noventa e nove e saiu em busca daquela, até que a encontrou. Extenuado, ele disse à ovelha: "Eu amo mais a ti do que às noventa e nove".
    Um dos mais enigmáticos problemas tem sido: o que acontecerá aos pecadores, aqueles que se extraviaram? Qual é a relacão entre o divino e o pecador? O pecador vai ser punido? Haverá inferno?- ...porque todos os padres têm insistido em que o pecador será punido, que será atirado dentro do inferno. Mas pode Deus punir alguém? Não tem ele compaixão suficiente? E, se Deus não pode perdoar, então, quem será capaz de perdoar? Muitas respostas têm sido dadas, mas a resposta de Jesus é a mais bela. Antes de entrarmos nesse dizeres, muitas outras coisas têm de ser compreendidas; elas lhe darão a base para a compreensão. Sempre que punimos uma pessoa, quaisquer que sejam as racionalizações que façamos, nossas razões são diferentes - e lembre-se da distinção entre razão e racionalização. Você pode ser um pai ou uma mãe, e seu filho ter feito algo que você não aprova. Não interessa se ele fez alguma coisa certa ou errada, porque... - quem sabe o que é certo e errado? Mas você desaprova e tudo o que você desaprova torna-se errado. Pode ser, pode não ser, esse não é o ponto - seja o que for que você aprove está certo. Assim, tudo depende da sua aprovação e da sua desaprovação. E quando uma criança se extravia, faz algo, a seu ver, errado, você a pune. A principal razão é que seu ego se sente ferido. A criança entrou em conflito com você e se afirmou. Ela disse "não" a você, o pai, a autoridade, o poderoso; então, você pune a criança. A razão é que seu ego está ferido e a punição é uma espécie de vingança. Mas a racionalização é diferente: você diz que ela errou e tem de ser corrigida - a menos que seja punida, como ela será corrigida? Assim, ela deve ser punida quando está no caminho errado e deve ser recompensada quando o obedece. Eis como ela deve ser condicionada para uma vida correta. Essa é a racionalização. É assim que você fala sobre isso em sua mente, mas essa não é a razão inconsciente básica. A razão inconsciente é totalmente diferente: é para colocar a criança em seu devido lugar, para lembrá-la de que você é o chefe e que ela não é o chefe, que você é quem decide o que é errado e o que é certo, que você é quem vai lhe dar a direção; que ela não é livre, que você possui, que você é seu proprietário - que se ela desobedecer, sofrerá."
    Parte do livro: A semente de mostarda ed. 10 pág.131 e 132

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. A ministra da cultura Marta Suplicy esta divorciada dos valores culturais e da identidade da família brasileira em especial os humildes. Porque se acha a dona da verdade, para tanto não respeita a opinião da maioria, impõe os seus valores pessoais como norma de cultura da formação do povo brasileiro.
    Fica claro que o Brasil não teve sorte nas varias passagens de seus ministros de cultura, todos foram e são contra o interesse da família do homem e da mulher brasileira. Estamos com a opinião de Milton Santos que diz que há uma cultura da perversidade no agir da maioria das autoridades brasileiras e ele acrescenta só o amor à vida e vivifica-la em um processo do estado republicano no caminhar do poder civil para a conquista da democracia plena. Todos juntos somos vitoriosos.

    ResponderExcluir
  17. Concordo com o comentário sobre a Marta Suplicy!
    Muito bom esse blog, inclusive!

    ResponderExcluir
  18. Waldimiro de Souza1 de outubro de 2012 19:41

    Danila de Jesus, jornalista e pesquisadora, teve sensibilidade de requerer junto a presidência da câmara, ao Presidente Marco Maia, solicitando dos anais da câmara dos deputados todo acervo da obra do cientista, geógrafo, professor Milton Santos, para fazer parte do livro da biografia comandada pelo grupo de pesquisa permanecer Milton Santos, na coordenação do jornalista Fernando Conceição.

    ResponderExcluir