domingo, 13 de abril de 2014

Uma nação dividida entre ricos e pobres



Ribeirinhos do Rio Preto sub afluente do Velho Chico, Mansidão-BA

O crime organizado comandando a política nacional, com os órgãos impotentes de continuar fiscalizando todo desacerto, dos atos do malfeito, como dizia Ruy ''que os homens e mulheres iam ter vergonha de serem honestos''. Hoje, no Brasil, os partidos políticos que se programam no processo eleitoral de chegar ao poder, como os que estão no poder, hoje, defendem a orgia do comportamento humano o que leva e alastra a nossa juventude para as drogas, infernizando, contaminando a saúde pública, da moral, da ética e de prostituir os valores individuais, sem se encontrar um caminho. Os nossos gestores públicos e privados entraram na escola e não aprenderam suficientemente. São autoritários, violentos e criaram através dos marqueteiros via televisão e rádio o mecanismo do voto de cabresto, mas atrasado que antes da republica velha. O Ministro Joaquim Barbosa e outros são uma voz isolada na república entre as autoridades dos 3 poderes, e por incrível que pareça tem o apoio de mais de 70% da população brasileira, isso demostra o quanto que o governo está desassociado das vozes da rua. Exemplificando, o agronegócio no Brasil se organizou e dividiu a nação, usando os empréstimos do tesouro nacional, secularmente muitos não foram pagos, daí vem as grandes fortunas, e além disso utilizavam de práticas violentas para tomar terras das populações pobres, ribeirinhas, negros e indígenas e essa prática a grande imprensa não da atenção. Os governos brasileiros durante anos, décadas e séculos esqueceram da inteligência, da ciência, da inovação, da tecnologia, do exercício do conjunto inovador, matéria prima da inteligência humana brasileira. Basta ver o massacre que as montadoras que se instalaram no Brasil praticaram contra o interesse da população brasileira, foi e é uma sangria do nosso cambio, criando um país inviável com as estradas intransitáveis e poluídas. Dentro da estrutura de poder é o núcleo de corrupção e atrelamento do trabalho laboral e patronal, vetor que provocou a separação entre ricos e pobres. A falta de aplicação das leis de zoneamento urbano e rural provocou a ocupação desordenada da população e uma degradação em regiões de várzeas, rios, mangues, brejos, e baias no qual o esgoto é lançado (sem tratamento) nos rios e mares do Brasil. Mesmo os ricos, morando em apartamentos que chegam a custar 10 milhões de reais, jogam seu esgoto no mar. Perdemos o respeito por nos mesmos, pela vida, e perguntamos a nos humanos desse país, que espécie de gente queremos ser, hoje, amanhã e sempre? Milton Santos e outros autores vem advertindo que a linguagem da perversidade embora não seja uma linguagem só da universidade brasileira, mas do mundo todo, não dá tranquilidade para os humanos, chegou a hora de despertar. Sem falar na obra de Jesus Cristo, que diz: ''seja feito conforme crestes, sua Fé te salvou''. O homem e a mulher é um presente de Deus, logo a nação brasileira e a humanidade tem de se conscientizar que há dentro de cada um, um paraíso que tem de ser preparado para externar a pratica de boas obras. Cremos nisso! Devemos cuidar desse presente de Deus que é a água que está a nossa disposição, só basta cuidar. Ela produz os alimentos, o lazer, o bem estar, a felicidade, no nascer no crescer até o morrer. Desejamos e pedimos que nas instituições humanas que formam as concentrações de habitantes nos lugares, cidades e países dedique todo esse nosso talento para uma nova humanidade que é você, eu e nós. Essa é a contribuição do Blog onegronobrasil1980.blogspto.com.
De mãos dadas somos vencedores (de amor a vida e vivificá-la)!


5 comentários:

  1. José Afonso Jácomo do Couto13 de abril de 2014 15:13

    São duas imagens que retratam um Brasil esquecido, dominado e explorado por interesses políticos e econômicos diversos. Haja vista, a problemática nordestina, que há anos, décadas e até seculos, se arrasta pelo cabresto dos líderes políticos e autoritários. Se algum Governo tivesse o interesse em solucionar a questão conjuntural do povo nordestino, certamente esse sofrimento já teria sido superado. Quem veio da roça, como eu vim, sabe, exatamente, o que estou dizendo. Apesar de eu ter alcançado um status social adequado, em virtude do empenho de minha família em educar os seus filhos, nunca esqueci e jamais esquecerei o meu passado e nem as pessoas que lá vi nascer, crescer e algumas, morrer. Assim, me formei em dois cursos universitários, um deles, a Matemática e o outro, a Economia, que não me deixa desligar dos assuntos sociais e políticos que a Nação vive e sofre. Atenciosamente, José Afonso Jácomo do Couto, tocantinense de corpo, mente e alma.

    ResponderExcluir
  2. Na cidade maravilhosa Rio de Janeiro, houve um caso do esgoto que é lançado no mar estourar, foi um caos na regiao de Sao Conrado, influenciando ate no transito. A partir dos momentos que damos descarga, nos despreocupamos com o destino dos dejetos, que nao vemos, mas estao lá poluindo nossas aguas. Para mim a soluçao é o banheiro seco, que como o acontece na natureza, nada é perdido, apenas transformado, e nossos dejetos tornam-se adubo que nutrem o solo para o que comemos crescer. Se seguirmos o exemplo da natureza, temos todas as respostas

    ResponderExcluir
  3. Salmo 117
    Louvem o Senhor, todas as naçoes; Exaltem-no, todos os povos! Porque imenso é o seu amor leal por nós,e a fidelidade do senhor dura para sempre.

    ResponderExcluir
  4. Bravo povo ribeirinho do sertão nordestino, que vem com essa atitude inovadora no trato das políticas socioambientais e dde integração no Sudeste, Centro-Oeste, abragendo mais de 30 milhões de pessoas. Que a luta seja conquistada no processo da inteligência, provocando no período eleitoral um despertar nos candidatos no processo eleitoral nesse ano de 2014. Espero que os partidos políticos tomem vergonha na cara e leia isso.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns, Artur pela fotografia dos ribeirinhos da fazenda tapera m Masidao BA, a margem do rio preto sub afluente do rio Sao Francisco. Unidos na legalização fundiária da fazenda tapera, em busca d um desenvolvimento sustentável da politica da sustentabilidade, contra a degradação dos grileiros na região. Parabéns a todos pela iniciativa. Pricila

    ResponderExcluir